As melhores protecções e capas para o iPhone

Boas, amigo!

 

Bem, agora que o susto passou e eu já tenho o meu iPhone 6S de volta, são e salvo, está na hora de lhe colocar uma capa e uma protecção anti-riscos. No que toca à escolha da protecção, não há dúvidas: existem as películas de plástico e as de vidro, sendo que estas últimas são bastante melhores, visto que têm uma resistência muito superior e não são tão finas como as primeiras.

 

Relativamente às capas, a história já é outra. Se calhar, para esta questão, vou precisar de uma pequena ajuda tua, porque, com tanta oferta no mercado, não sei ainda qual escolher.

 

De todas as capas que andei a pesquisar, foram muitas as que me saltaram à vista. No entanto, creio que estas são as melhores:

 

  • Capas de plástico
  • Capas de borracha
  • Capas de silicone
  • Capas de metal
  • Capas em pele

 

Todas estas capas protegem as laterais, a parte superior e a parte inferior, assim como a traseira do telemóvel. Ainda existem capas feitas com outros materiais (couro, tecido, etc.), no entanto, creio que estes, para além de me parecerem os melhores, já são suficientes para me colocarem grandes dúvidas. De notar também que as capas em pele (ou imitação) podem ser mais completas, ou seja, existem ainda aquelas que protegem todo o telemóvel, inclusive o ecrã, e que se fecham com a ajuda de um íman.

 

Escolher uma destas capas para o meu telemóvel está a ser uma tarefa um pouco demorada, porque há várias situações a ponderar. Por exemplo, uma questão importante a avaliar é a variação dos preços. Compradas na marca, as capas para os iPhones podem chegar a valores muito elevados, comparativamente às que são vendidas noutras lojas ou mesmo nos websites de compra e venda de artigos usados. Porém, apesar de mais caras, são também mais duradouras. E, no caso de certos materiais, como o couro ou a pele, não contamos com imitações. Para além disso, o seu preço varia consoante o tipo de capa e de iPhone, até porque cada telemóvel tem as suas medidas. Já para não falar das cores, que, apesar de não agravarem o preço, também dividem um pouco a minha opinião.

 

No entanto, excluindo algumas opções, vou apenas colocar duas em cima da mesa: ou compro a capa de metal, que encontro online e por valores bem acessíveis, ou compro a capa em pele na própria marca, de preferência uma que me cubra também o ecrã.

 

Bem, independentemente da escolha, uma coisa é certa: caso haja outro acidente com o meu iPhone, certamente que este não ficará tão maltratado e não precisará de qualquer tipo de arranjo, pois vai passar a andar bem mais protegido.

 

Se fosse contigo, que capa escolherias? Ou melhor, qual é a que estás a usar neste momento?

 

Keep in touch,

Bernardo

O que fazer em caso de avaria do iPhone

Boas, amigo!

Já te aconteceu teres alguma avaria no teu iPhone e não saberes onde o arranjar? Pois, a mim já… mas depressa percebi o que tinha que fazer. Para dizer a verdade, quando penso no que me aconteceu, até estremeço! É que ainda não percebi bem como o “acidente” aconteceu, só sei que o telemóvel deu uma grande queda quando fui fazer uma escalada com uns amigos. É claro que, para além de um vidro completamente partido, o meu iPhone 6S tinha também deixado de funcionar!

 

Na altura, fiquei mesmo chateado. Tinha lá informações importantíssimas, reuniões de trabalho marcadas, apontamentos para utilizar no meu dia-a-dia laboral, listas de compras, enfim… a minha vida toda. E sim, eu sei que um sistema de backup salva tudo o que tiveres guardado no telemóvel, mas, azar dos azares, ainda não tinha um! Bem, o que é certo é que eu consegui recuperá-lo, e vim escrever sobre esta minha experiência para te poder ajudar, caso venhas a estar numa situação semelhante e não saibas o que fazer.

 

Então, o que fiz eu?

 

1º passo – Pedi o arranjo do telemóvel na marca

Mesmo a pensar que o aparelho não iria sequer “sobreviver”, e que o melhor era ir a um centro comercial comprar outro iPhone, pensei antes em meter os pés ao caminho e ir directamente ao local onde o comprei, de modo a pedir uma reparação. Infelizmente, não me tinha lembrado da falta de garantia, pelo que não me foi possível deixá-lo lá pelos altos valores que me eram solicitados.

 

2º passo – Procurei outras alternativas

 

Caso precises de arranjar o teu iPhone sem uma garantia que te assegure uma reparação gratuita na marca ou, pelo menos, com valores bem mais baixos, existem outras alternativas muito fiáveis que vim a descobrir. Devido à proliferação dos iPhones, também começaram a existir imensas lojas de reparações apenas para esta marca, como a iLoja, a iClínica, a iPartiu ou a iServices. Como a concorrência é feroz, estes preços são bastante mais razoáveis e acessíveis à nossa carteira. Por isso, acabei por escolher a iLoja para voltar a dar vida ao meu telefone, apesar de pensar que tal já não seria possível. Felizmente, estava bem enganado, porque, uma semana após o pedido de reparação, o meu iPhone 6S foi-me entregue novinho em folha… ah, e com as informações todas recuperadas!

 

Confesso que não ganhei para o susto com toda esta situação, ainda para mais sendo um autêntico viciando nesta marca e ter toda a minha vida no meu iPhone. Por isso, quis partilhar esta história contigo, principalmente para certificar-me que aprendias bem o que fazer e onde ir, caso passasses pelo mesmo. E também quero evitar que entres em pânico… ou será que já entraste? Queres partilhar alguma história?

 

Keep in touch,

Bernardo

5 dicas para tirar boas fotografias com o iPhone 6 tal e qual como os fotógrafos profissionais

shutterstock_326705666

 

Boas, amigo!

Já te dei a entender que a minha vida não é a mesma sem a Apple. E a realidade é que eu sou tão viciado nesta marca que, quando precisei de fazer uns trabalhos de fotografia para um curso que ando a tirar, fi-los com o meu telemóvel, sem sequer recorrer àquelas máquinas fotográficas profissionais que usam os fotógrafos. E sabem que mais? O meu professor adorou e nem percebeu que aquelas imagens tinham sido captadas por um iPhone 6!

O iPhone 6 foi, de facto, um excelente telefone. Foi, porque já comprei o iPhone 6S, tal como vos mencionei antes. No entanto, apesar de este novo modelo já estar nas lojas há muito tempo, a maioria das pessoas ainda usa o anterior, incluindo vários amigos meus. Um deles, que trabalha como ajudante de três fotógrafos, em conversa comigo confidenciou-me que apenas tira as fotografias dos pequenos eventos com o seu telefone. Segundo ele, o telemóvel tem funcionalidades tão avançadas, que bastam certos truques para captar imagens ao nível de uma máquina fotográfica profissional. O certo é que os fotógrafos com quem trabalha não se importam, porque vêem que o resultado surpreende.

Questionado acerca desses truques (sim, porque até eu fiquei interessado em saber), diz o meu amigo que:

  1. HDR activo

Usares o HDR é fundamental para captares imagens excelentes. Com ele activo, consegues tirar várias fotografias em simultâneo, mas ficas só com a melhor qualidade de todas elas.

  1. Foco

 Focar a imagem é quase sempre obrigatório, independentemente do telemóvel que tiveres. Com o iPhone 6 também não é excepção. Se a imagem for muito complexa e quiseres destacar algo nela, então o que deves fazer é definires o ponto de foco e de exposição que pretendes, de preferência um que esteja estático, e bloqueares a opção de bloqueio de foco automático.

  1. Botão do volume

Há sempre aqueles momentos imperdíveis, que duram somente alguns segundos, e que não podes mesmo deixar escapar. Nessa altura, em vez de estares a perder tempo a tentar captar a imagem com o clique no botão digital, o que nem sempre resulta à primeira, podes fazê-lo recorrendo ao botão físico do volume. No entanto, isto só funciona se tiveres a aplicação da câmara aberta. 

  1. Filtros

Se o editor de imagens de um Android já é bom, então o de um iPhone é de um nível bastante superior. Mas há também uma forma de melhorares ainda mais as tuas fotografias e deixares os fotógrafos de boca aberta: os filtros que constam na app de fotografia da Apple. Posso garantir-te que, agora, uso-os mais do que devia! 

  1. Regra dos terços

A regra dos terços é bastante utilizada pelos fotógrafos em geral, porque ajuda-os a enquadrar melhor o objecto na câmara e, consequentemente, a tirar melhores fotografias. A ideia desta regra é ficares com o ecrã dividido em linhas, de forma a obteres 9 rectângulos iguais. Com o ecrã assim dividido, deves colocar os objectos que pretendes dar relevância na intercepção dessas linhas, de preferência nas que se encontram do lado direito e do lado esquerdo. Apesar de ser uma técnica já muito conhecida, não era comum existir essa opção num telemóvel. Agora, com o iPhone 6, até isso é possível.

Bem, eu só te digo que já testei alguns destes truques e ainda estou espantado com o resultado! Experimenta também! Tenho a certeza de que vais fazer inveja a todos os fotógrafos profissionais que tiverem a sorte (ou o azar!) de ver como ficam as tuas imagens! E depois vem contar-me tudo!

Keep in touch,

Bernardo

 

5 funcionalidades que não conhecias no teu Iphone

shutterstock_284380028 
Leszek Kobusinski / Shutterstock.com

Boas, amigo!

És tão viciado no teu iPhone como eu sou viciado no meu? Acho que és, sim! E sabes como tenho a certeza de que também não largas o teu telemóvel? É que quem experimenta a Apple, não a larga nunca mais!

Eu sou apaixonadíssimo por tudo o que é disponibilizado no mercado: tenho um iMac, um iPod, um iPad e um iPhone. Basicamente, sou um viciado e um consumidor compulsivo desta marca, e o mais curioso é que, durante anos, usei sempre telemóveis com o sistema operativo Android, e até gostava! Só mudei para o iOS, porque a minha namorada estava sempre a melgar-me para o fazer… é claro que, agora, agradeço-lhe por me ter chateado tanto a cabeça! 🙂

O que mais me surpreende nesta marca nem é a qualidade que confere aos produtos, porque, isso, já se sabe que é garantido. Para mim, mais importante do que ter um telemóvel topo de gama e com características fantásticas, é ter um produto que é capaz de me surpreender – tanto a mim, como a ti – todos os dias! Dou-te um exemplo: comprei, há um mês, o novo iPhone 6S e confesso que, nos dias que antecederam a compra, li tudo o que consegui sobre o telefone, e, assim que o adquiri, fui logo testar as suas funcionalidades. Porém, um mês depois, ainda sou surpreendido com algumas características que nem sabia que existiam, tais como:

 

  • O Live Photos, que é somente uma das funções mais espectaculares que descobri no iPhone. Tens a noção de que, ao tirares uma fotografia, consegues ainda captar os momentos que lhe antecedem e os que lhe sucedem?

 

  • O seu processador, A9 de 64 bits, que é tão rápido e tem uma qualidade tão superior, comparativamente ao dos outros telemóveis concorrentes, que só o podemos comparar com o processador de um computador de secretária.

 

  • A segurança tão eficaz que o telemóvel nos proporciona. Sabias que podes desbloquear o telemóvel, de forma bastante rápida, com o chamado touch ID, um sensor que detecta as tuas impressões digitais? Mais seguro do que isto não há!

 

  • A qualidade da navegação. Já tinhas reparado que o Wi-Fi é ainda mais rápido do que os modelos anteriores e que agora descarregas dados a uma velocidade incrível? Bem, eu já tinha percebido que a navegação na Internet era muito mais rápida, mas só agora descobri que é devido à tecnologia da Apple, a 4G LTE Advanced, que dobra a sua velocidade.

 

  • A resolução 4K da câmara iSight, que proporciona uma qualidade de gravação tão elevada, que chega a ser até 4x superior às gravações em 1080p HD, que, como sabes, já é fantástica;

Tinhas a ideia de que o teu telemóvel é, realmente, o produto mais inovador e surpreendente do mercado? Conta-me a tua experiência com a Apple!

 

Keep in touch,

Bernardo